quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Carlos Daniel: Porque é que o Benfica não ganha ao Porto?


A pergunta também vale ao contrário: porque é que o FC Porto dificilmente perde com o Benfica, mesmo na Luz? Há três tipos de respostas possíveis: de circunstância, subjetivas e concretas. Só acredito nestas e começo com uma nota prévia: em quatro anos no Benfica, Jesus ganhou algumas vezes ao FC Porto mas não ganhou tantas quanto parecia provável, nem sequer quando parecia por cima em termos de rendimento, opções disponíveis e motivação. Como agora. E só ganhou uma vez no Dragão, para a Taça, perdendo três vezes na Luz.

As causas de circunstâncias são as que se referem às arbitragens, a uma ausência, a erros ou grandes exibições individuais. Proença, Hulk, Roberto, Emerson ou Artur explicam um jogo, não uma tendência. As subjetivas são as que se refugiam nos chavões, tão difíceis de confirmar como de desmentir, de um bloqueio anímico ante o rival, de menor maturidade competitiva, blá-blá-blá. Tretas.

Chegamos ao essencial: a forma de jogar do que chamei "gémeos falsos", candidatos com idêntico rendimento pontual mas identidades marcadamente distintas. Onde o Benfica é emoção, o FC Porto é razão, que se o Benfica faz de cada posse de bola um ataque, o FC Porto quase faz de cada ataque uma posse de bola. O Benfica só se sente confortável quando domina, o FC Porto sente-se sempre cómodo quando controla, mesmo não dominando.
Nestes jogos, o FC Porto é mais igual a si próprio, que o seu modelo não é tão arrasador contra equipas mais pequenas mas, pelo equilíbrio, adapta-se facilmente a jogos de maior exigência. O Benfica sai da zona de conforto quando não tem a iniciativa permanente e os jogadores acusam a mudança de chip se lhes pede que reparem na cara do adversário, para "marcar" Xavi ou Messi, Moutinho ou Lucho, habituados que estão a ignorar anónimos do Moreirense ou do Olhanense. Em suma, o FC Porto mantém o modelo, os princípios de jogo, mesmo quando altera o sistema, enquanto o Benfica mantém o sistema mas acaba, forçado ou deliberado, a jogar segundo princípios diferentes.

PS 1- Para ser justo e coerente: antes de Jesus, o desnível era incomensuravelmente maior e só com ele o Benfica voltou a discutir provas com o FC Porto. Não é de somenos, após a década mais negra da história do clube.

PS 2 -
Vítor Pereira esteve muito bem no campo, na gestão do resultado que lhe interessava mas deplorável depois. As palavras de desvalorização do adversário não se justificavam mas pior do que o conteúdo foi o tom. Já há ódio que chegue.



-Carlos Daniel, Diário de Noticias

12 comentários:

  1. Conversa de xaxa, para branquear Proenças, Benquerenças e Sousas, que são os piores.

    Miguel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E nas competições europeias? também são Proenças, Malquerenças ou Sousas que apitam?
      Jesus só é grande quando joga com equipas que ele sabe que são de um campeonato inferior, quando joga com equipas que ele sabe que podem discutir o resultado, tem sempre medo. Com ele o Benfica poderá eventualmente ganhar a Taça da Liga e não arrisco mais.
      Só espero estar enganado.

      Eliminar
    2. ALM que tal mais juízo e menos parvoice?

      Eliminar
  2. Mais um artigo a elevar o Porto e reduzir o Benfica.

    Notar que só apenas num segundo PS, quase para não ficar mal é que ele vem com o puxão de orelhas ao Vítor Pereira...

    Onde está no texto o facto de o Porto jogar apenas na pressão alta e mesmo com jogadores como Lucho e Moutinho, pouco ou nada fazer em termos ofensivos?

    Lentamente, como quem não quer nada, muitos jornalistas aqui e ali vão demonstrando as respectivas obediências...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu diria MEDOS e não obediências. Este vive e trabalha no Porto. E sabe muito bem como eles mordem! Ele até é benfiquista. Mas ele tem uma família - esposa e duas filhas - e não quererá colocá-las em perigo!
      Aquilo no Porto é tal qual a Palermo mafiosa italiana!

      Eliminar
    2. Carlos Daniel é tão Benfiquista como nós. Mas não nos podemos esquecer que é jornalista.

      Eliminar
  3. epa os benfiquistas pelo menos alguns sao burro como calhaus , o que o homem diz é verdade , é dificil perceber essa merda ?
    eu ate acho que alguns comentarios como os dois anteriores sao de portistas disfrçados , pois se continuarmos com a cabeça enterrada na areia e sempre a falar de arbitros , perderemos sempre e sem +ercebermos porque .

    jose luis cruz

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São todos burros como você não é seu calhau?

      Eliminar
  4. Ó cruz disfarçado anda você, lá que emprenhe pelos ouvidos ou pela escrita, não quer dizer que os outros sejam burros como calhaus como lhe convém dizer. Apenas não estamos ao serviço de alguém como é o seu caso, ou de tolice adementada, e dizemos o que se passa verdadeiramente e não o que dá jeito dizer para se chegar a Direcção do clube.
    Tenha tino mas é, e deixe-se dessa conversa que já ninguém cai nessas manipulações e mentirinhas de algibeira.

    Miguel

    ResponderEliminar
  5. O que eu gostava de ver este Senhor na Luz...

    ResponderEliminar
  6. porque o benfica nao ganha ao porco porque a farinha que o porco come e das vacas loucas e os arbitros vao la lamber estao na mesma ...loucos

    ResponderEliminar

Caro(a) Benfiquista,

Agradecemos a sua visita e solicitamos, antes de sair do blog, que deixe um comentário acerca do que acabou de ler.

O debate é livre, por isso tenha a gentileza de participar com educação, elevação, civismo e respeito pelos demais visitantes.

Só assim honraremos a história Grandiosa do nosso amado Clube!